quinta-feira, 5 de junho de 2014

Pai, melhor não sê-lo . . .


     Sabe aquele jargão que a maioria dos pregadores falam:  "essa mensagem é primeiro para mim. . ." nesse caso é realmente para mim, e só estou escrevendo para servir de alerta aos outros pais.
     
      Bem, vamos começar assim: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração…” Jeremias 17.9-10

      Sempre me achei um ótimo pai, me gabava direto, ainda mais sendo professor, achava ser exemplo para todos os pais . . . mas como diz o versículo acima "engano é o coração", eu me achava mas não era. 
Como descobri? Simples através de um ditado popular e um conceito próprio:
"Quem não te procura não sente sua falta" 
Ninguém fica na miséria sem motivos - conceito pessoal.

     Tenho dois filhos naturais e dois não naturais, os naturais não moram comigo, e os não naturais moram.  Vejo os naturais quase somente em datas comemorativos . . . falta de tempo, não segundo os dois conceitos acima por mim mencionado.

     Os não naturais trabalham e estão em casa somente à noite e nos domingos, mas ao ver que um saiu das férias antes dela acabar e do outro de correr à noite voltando quando todos estão dormindo . . . 

       Não os culpo de nada, pois todos são ótimas pessoas - quem os conhece sabem bem disso - então se ao invés de me achar, buscasse ser, tudo hoje seria diferente.  Logo, PAI, seja realmente um PAI para seu filho, antes que descubra que nunca foi, da maneira mais difícil!